Após o ataque ao Capitólio dos EUA, o Twitter avisou hoje (12) que excluiu mais de 70 mil perfis por causa de descumprimento de suas normas. De acordo com a companhia, elas foram expulsas por estarem se dedicando a compartilhar conteúdo prejudicial em grande escalada a respeito da teoria da conspiração QAnon.

Intel reage ao Apple Silicon com processadores Alder Lake

Embora seja um grande número, o Twitter confirma que diversos dos usuários que foram afetados pela medida tinham mais de uma conta. A empresa conta que excluiu as contas para proteger a discussão na plataforma das tentativas de incitar a violência, organizar ataques e publicar dados enganosos a respeito da eleição presidencial do ano passado nos Estados Unidos.

“Deixamos claro que adotaremos medidas de execução rigorosas sobre o comportamento que tem o potencial de causar danos offline. Devido aos eventos violentos em Washington, D.C. e ao aumento do risco de danos, começamos a suspender permanentemente milhares de contas que eram dedicadas principalmente ao compartilhamento de conteúdo QAnon na tarde de sexta-feira”.

Em seu anúncio, o Twitter contou que a exclusão dos perfis pode fazer com que algumas contas percam milhares de seguidores. A alteração foi notada por alguns perfis conservadores na rede social, que fizeram reclamações a respeito da ação. Um exemplo é a deputada republicana Marjorie Taylor Greene. Famosa por promover a teoria da conspiração QAnon, ela perdeu mais de 40 mil seguidores deste a última sexta (8), de acordo com o SocialBlade.

Twitter remove 70 mil contas e Facebook apaga posts com “Stop the Steal”
Twitter remove 70 mil contas e Facebook apaga posts com “Stop the Steal” – Foto: Reprodução/Tecnoblog

Mais detalhes sobre a ação

O Twitter fez destaque para uma alteração nos tweets marcados por violações de suas normas de integridade cívica. Desde a última quinta (7), eles não conseguem receber respostas, curtidas ou retweets. A plataforma ainda dá permissão para que possuam citações para que o conteúdo seja propagado com um contexto.

Além disso, alguns termos foram proibidos de surgirem entre os assuntos mais comentados. O Twitter disse que tem o desejo de criar conversas saudáveis. Dessa forma, passou a impedir na última semana o destaque para termos que violam regras a respeito de violência, integridade cívica e conteúdo sensível.

Facebook exclui postagens com “Stop the Steal”

O Facebook, em contrapartida, disse que irá apagar as postagens com a expressão “stop the steal” (ou “pare o roubo”). Ela costuma ser utilizada por apoiadores de Donald Trump que tem a fé na vitória do mesmo sobre Joe Biden na eleição do ano passado, algo que foi negado algumas vezes pela Justiça dos EUA.

A ação valerá para postagens que possam criar danos no mundo real e não atinge os que condenam ou abordam de forma neutra a expressão. Em novembro, depois da eleição dos EUA, a plataforma já tinha excluído o grupo “Stop The Steal”, que tinha por volta de 360 mil integrantes e os chamava para protestos para questionar a vitória de Biden.

O que você achou das ações do Twitter e do Facebook? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!