A Intel aproveitou a CES 2021 para divulgar nada menos do que 5 séries de processadores. Entre eles estão os chips Core de 11ª geração da série H, com foco em notebooks para games. No entanto, provavelmente, a comunicação que tem mais atenção é o dos processadores Alder Lake. Além disso, de alguma maneira, eles serão o movimento da Intel para a plataforma Apple Silicon.

Clássicos do cinema: confira 35 filmes que você precisa assistir!

Intel Core Tiger Lake-H

A Intel tem planos para publicar mais de 50 processadores durante este ano. Além disso, no meio desses itens estarão os chips Core de 11ª geração (Tiger Lake) da série H, que virão para complementar as versões de baixo consumo divulgados em setembro do ano passado.

Todos tem base na microarquitetura Willow Cove e, dessa forma, incluem um processo de fabricação de 10++ nanômetros SuperFin e gráficos Intel Xe, além de contarem com suporte a Wi-Fi 6, Thunderbolt 4 e PCI Express 4.0.

Os novos processadores foram separados em duas categorias: H35 e H45. Além disso, aqui, os números mostram o TDP máximo (35 W e 45 W, respectivamente). Em seguida, os chips H35 possuem as seguintes versões:

H35Núcleos / ThreadsFrequênciaFreq. 4-Core TurboCache L3TDP máximoGráficos (EUs)
Core i7-11375H SE4 / 83 GHz4,3 GHz12 MB35 WIris Xe (96)
Core i7-11370H4 / 83 GHz4,3 GHz12 MB35 WIris Xe (96)
Core i5-11300H4 / 82,6 GHz4 GHz8 MB35 WIris Xe (96)

Por outro lado, a família H45 deverá ter suas versões confirmadas nos meses seguintes. Até então, o que sabemos é que essa categoria terá itens de até oito núcleos e 16 threads.

Intel reage ao Apple Silicon com processadores Alder Lake
Intel reage ao Apple Silicon com processadores Alder Lake – Foto: Reprodução/Tecnoblog

Mais detalhes

Não há exagero ao identificar a série Alder Lake como a principal novidade da Intel no momento. Além disso, tais chips irão contar com uma abordagem híbrida que faz lembrar da tecnologia big.LITTLE de processadores com base em arquitetura ARM.

Ou seja, a Intel afirmou que as versões dessa série irão combinar núcleos de alto desempenho com núcleos mais econômicos. No entanto, que irão trabalhar com tarefas simples com bom desenvolvimento.

Como principal benefício, essa abordagem deverá melhorar de forma considerável o consumo de energia. Ou seja, é por esse motivo que os chips Alder Lake vêm sendo considerados como uma resposta da Intel à plataforma Apple Silicon, da qual o chip M1 torna possível ao novo MacBook Pro ser ótimo no desempenho e na duração de bateria.

Além disso, basta sabermos se os processadores Alder Lake irão corresponder a essas duas características. No entanto, as expectativas até que são elevadas. Até então, os dados que foram divulgados indicam que esses chips irão ter tecnologia de 10 nanômetros SuperFin e até 16 núcleos (8 + 8).

Além disso, eles serão separados em duas famílias: Alder Lake-S para desktops e Alder Lake-P para notebooks. No entanto, mais informações só devem ser reveladas na segunda metade deste ano.

Intel confirma Rocket Lake-S

Teremos que aguardar menos tempo para achar a série Rocket Lake-S no mercado. A Intel afirmou que esses chips, que dizem respeito a 11ª geração de chips Core para desktops, vão ser publicados ainda trimestre juntamente com as placas-mães nos chipsets Intel série 500.

As versões Rocket Lake-S não serão novos em todos os sentidos. Já entendemos que eles terão base na arquitetura Cypress Cove, um tipo de adaptação da arquitetura Sunny Cove (de 10 nanômetros) para o processo de 14 nanômetros.

De qualquer forma, a Intel diz que esses chips terão 19% mais desempenho nas instruções por ciclo (IPC) ao comparar com a geração anterior (Comet Lake-S).

O líder da série será o Intel Core i9-11900K. Essa versão terá oito núcleos, 16 threads, frequência de 3,5 GHz (até 5,3 GHz em boost) e cache de 16 MB.

Intel reage ao Apple Silicon com processadores Alder Lake
Intel reage ao Apple Silicon com processadores Alder Lake – Foto: Reprodução/Tecnoblog

Pentium, Celeron e Core vPro

A Intel não esqueceu os chips para PCs mais baratos. A empresa compartilhou uma modesta leva de processadores Pentium (duas versões) e Celeron (quatro versões). Se trata da série Jasper Lake série N, com foco em notebooks para objetivos educacionais.

O mais avançado deles é o Pentium N6005, versão que tem quatro núcleos, quatro threads, frequência de 2 GHz (máximo de 3,3 GHz) e gráficos Intel UHD. Todos irão ter uma tecnologia de 10 nanômetros e TDP de 6 W ou 10 W.

Para a área corporativa, a Intel mostrou a 11ª geração dos chips Core vPro. Eles também tem base na tecnologia SuperFin de 10 nanômetros e possuem ferramentas como Hardware Shield para detectar ameaças através de inteligência artificial.

Suporte a Wi-Fi 6/6E (Gig+) e desempenho até 23% mais veloz que os rivais na execução do Microsoft 365, por exemplo, estão entre as outras características da nova plataforma vPro, de acordo com a Intel.

Ainda conforme a empresa, por volta de 60 notebooks com base nesses chips serão publicados em 2021. Alguns deles irão ostentar o selo Intel Evo vPro, que certifica que o equipamento corresponde a uma versão ultrafina “premium”.

O que você achou dos processadores Alder Lake? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. É só clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!