Liderar uma equipe desorganizada de super-heróis de aluguel não é pouca coisa. Inclusive, em ‘Guardiões da Galáxia (Guardians of the Galaxy) da Marvel‘, a liderança dessa equipe determinará o destino da galáxia. Assim, o game coloca os jogadores no controle do Senhor das Estrelas, o lendário “fora da lei”. Ele terá a companhia de Rocket, Groot, Gamora e Drax em uma missão caótica para retificar erros e lidar com as consequências de suas ações e escolhas.  Desenvolvido pela Eidos-Montréal, o game ‘Guardiões da Galáxia da Marvel’ é uma aventura fantástica, muitas vezes bombástica, com combate errático e escolhas significativas. Além disso, o jogo também apresenta uma trilha sonora impressionante com mais de 30 sucessos populares dos maiores nomes da década de 1980, incluindo Blondie, Def Leppard e Tears for Fears.

Veja também quais são os próximos filmes da Marvel!

A história começa com os Guardiões da Galáxia, que já trabalham juntos há algum tempo, no meio de uma missão para subjugar e capturar um monstro para levar até a lendária Lady Hellbender para ganhar algum dinheiro. Ao fazer isso, eles cometem um erro que atrai a ira da Nova Corps. Assim, você entrará em uma aventura para retificar os seus erros antes de destruir a paz da galáxia. As escolhas dos jogadores ajudam a moldar a narrativa, e as decisões do Senhor das Estrelas em cada turno podem ter consequências de longo alcance ou até benignas. O jogo é acelerado, com combates bem emocionantes e quebra-cabeças interessantes, mas sofre um pouco com a mecânica de combate mais desajeitada, locais repetitivos e avisos que em muitos momentos são pouco claros.

Muito combate

Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! - Foto: PSX MAS
Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! – Foto: PSX MAS

O combate em ‘Guardiões da Galáxia da Marvel’ é uma grande parte do jogo. Assim, os jogadores terão uma variedade de armas e poderes à sua disposição. O Senhor das Estrelas pode fazer uso de botas a jato, blasters elementais, uma variedade de DPS e habilidades de controle de multidão de outros Guardiões para lutar contra multidões de criaturas alienígenas que às vezes podem parecer intermináveis. Entre essas lutas menores, os jogadores também encontrarão batalhas contra chefes difíceis, se não repetitivas, que duram um pouco e costumam forçar uma estratégia de corrida e tiro. Ao contrário da maioria dos jogos de tiro na terceira pessoa, os jogadores precisarão disparar às cegas ou travar em cada alvo. Além disso, o Senhor das Estrelas deve mirar em um inimigo para dar ordens à sua equipe, o que pode limitar o posicionamento de forma significativa e tornar a ação um pouco mais pesada.

O enredo é o grande destaque do game

 Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! - Foto: TE MAS
Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! – Foto: TE MAS

O ‘Guardiões da Galáxia da Marvel’ se destaca quando se trata de contar histórias, particularmente caracterização, diálogo e integração das escolhas do jogador. Embora a história seja mais uma coleção de eventos do que uma narrativa rígida mantida por uma tensão singular, parece apropriado para esses personagens passarem muito tempo tropeçando, limpando as consequências de seu caos e inevitavelmente criando mais em seu rastro. A história é bem convincente para manter os jogadores envolvidos, e a imprevisibilidade da história do game garante abundância de encontros inesperados.

A equipe principal do ‘Guardiões da Galáxia da Marvel’ é caracterizada de forma perfeita. Esta narrativa particular adere mais fortemente aos quadrinhos do que o filme ‘Guardiões da Galáxia’ de 2014 da Marvel. Assim, na linha do tempo do jogo, por exemplo, Drax teve sucesso em sua tentativa de matar Thanos, o Titã Louco. Por outro lado, Rocket menciona o que aconteceu com sua alma gêmea, Lylla. Os personagens brilham mais quando a equipe brinca, geralmente entre ou durante as missões. Os membros da equipe discutem, dão suas próprias ideias e opiniões, provocam uns aos outros e relembram, e a maioria dessas linhas são únicas e não repetidas. Além disso, eles também repreendem o Senhor das Estrelas se ele demorar muito para completar uma tarefa ou verificar novamente uma área que eles disseram especificamente que era um beco sem saída, ajudando a dar vida a suas amizades orgânicas.

Um jogo de escolhas

  Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! - Foto: CX MAS
Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! – Foto: CX MAS

Semelhante a alguns dos melhores jogos da Telltale, os jogadores precisarão fazer escolhas tanto em cenas como também durante a exploração. Ao passar pelos diferentes capítulos, o Senhor das Estrelas frequentemente precisará quebrar discussões ou reunir a sua equipe. Em cutscenes, ele precisará decidir como responder a uma situação em que os Guardiões se encontram. Frequentemente, os membros da equipe irão reagir às decisões do Senhor das Estrelas e lembrar de suas escolhas. Em situações de cutscene, a escolha que o Senhor das Estrelas faz pode mudar a trajetória da história ou até ganhar aliados úteis para a equipe. Se o Senhor das Estrelas demorar muito para responder a uma situação e ficar em silêncio, as consequências podem mudar de forma significativa, o que pode funcionar a favor ou contra a equipe. 

Não está claro até que ponto ‘Guardiões da Galáxia da Marvel’ é um jogo onde as escolhas realmente importam. Assim, os jogadores precisariam completar a história ou cada capítulo novamente e fazer uma escolha diferente para ver todo o escopo das consequências que poderiam enfrentar. Como o jogo salva automaticamente com bastante frequência, é quase impossível reiniciar uma cena e fazer uma escolha diferente na mesma execução.

Interação com o restante da equipe

Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! - Foto: TM MAS
Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! – Foto: TM MAS

Enquanto os jogadores infelizmente só podem controlar o Senhor das Estrelas em ‘Guardiões da Galáxia da Marvel, o resto da equipe é integrado de forma bem única. Nos elementos interativos do ambiente, o Senhor das Estrelas pode dar ordens à sua equipe. Normalmente, ele pode pedir a Rocket para escalar em pequenos espaços ou hackear sistemas, Gamora para cortar obstáculos ou pular e escalar lugares altos, Groot para formar pontes em ravinas difíceis e Drax para levantar, puxar ou mover objetos pesados. Embora a escolha correta seja geralmente óbvia, essa mecânica dá à equipe mais o que fazer do que apenas seguir o jogador. Além disso, faz com que cada um se sinta importante para a história.

Aspectos frustrantes do game

Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! – Foto: TE MAS

Onde o game ‘Guardiões da Galáxia da Marvel’ mais peca é no design de combate. Sem a habilidade de controlar outros membros da equipe, jogadores estarão limitados a emitir ordens. No entanto, com o combate tão intenso e rápido como é, e com o Senhor das Estrelas frequentemente atraindo a agressão de várias criaturas ao mesmo tempo, pode ser bem difícil traçar estratégias e criar combos que usem várias habilidades dos Guardiões. As arenas de combate sempre parecem iguais, geralmente consistindo em um círculo ou semicírculo com opções limitadas para correr e se proteger. A falta de variedade nesses designs, juntamente com os repetidos tipos de criaturas alienígenas bizarras, podem fazer o combate parecer repetitivo e um pouco menos recompensador.

Outro aspecto mais frustrante do game é a mecânica de ação rápida e os avisos de botão que acompanham as ações rápidas. Algumas ações rápidas serão irrelevantes, como apertar um botão rapidamente para apagar todas as velas de aniversário de Peter Quill adolescente. No entanto, a maioria dessas ações rápidas são parte integrante da trama e resultam em uma morte prematura se não forem executadas da forma correta. Nem sempre está claro o que os jogadores devem fazer para ter sucesso em cada ação rápida. Assim, às vezes, eles devem pressionar e segurar um botão, mas apenas quando um medidor atinge uma zona especificada. Outras vezes, eles precisarão usar novos botões ou teclas para controlar e mirar uma arma que, fora da cena, não requer tais calibrações. Isso se torna confuso e muitas vezes frustrante após várias mortes.

Mais frustrações

  Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! - Foto: UOL MAS
Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! – Foto: UOL MAS

O combate repetitivo e as confusas ações rápidas seriam menos problemáticas se os jogadores pudessem contar com o carregamento instantâneo de volta em seu ponto de verificação mais recente. No entanto, pelo menos no PC, esse não é o caso. As telas de carregamento podem levar muito mais tempo do que o esperado. Assim, várias mortes podem resultar em um período prolongado de inatividade para cada tentativa, conforme os jogadores tentam descobrir como a ação rápida funciona ou sobrevivem a uma luta em ritmo acelerado com vários inimigos poderosos.

A exploração também parece um tanto vazia, já que a maioria dos caminhos são bem lineares. Os ambientes são projetados para manter a festa restrita a uma área específica. No entanto, às vezes pode haver caminhos alternativos para o mesmo local. Muitos desses caminhos levam a becos sem saída, e o Senhor das Estrelas frequentemente precisará usar seu visor para escanear objetos interativos. Para seguir em frente, ele precisará resolver quebra-cabeças que geralmente envolvem limpar escombros, atirar em itens ou usar a função de ordem para obter ajuda de seus companheiros. Entretanto, nunca há uma chance real de se desviar do objetivo. Isso pode ser uma coisa boa, especialmente para jogadores que acham que os jogos de mundo aberto ficaram grandes demais e muito comuns.

Conclusão

Guardians of the Galaxy: confira o review completo do game! – Foto: IGN MAS

Apesar de algumas de suas desvantagens mais gritantes, o game é uma experiência charmosa que parece ter saído direto das páginas de uma história em quadrinhos. Os personagens e a história caótica são o coração do jogo. Esses elementos são executados excepcionalmente bem. Apesar de ser desajeitado, o combate pode ser divertido e de tirar o fôlego. Além disso, a maneira como a mecânica de escolha é integrada dá a sensação de que os jogadores realmente causam as consequências imprevisíveis que os Guardiões enfrentam. Para jogos de super-heróis em particular,  ‘Guardiões da Galáxia da Marvel’ é uma lufada de ar fresco que demonstra o quanto os jogos para um jogador ainda podem ser divertidos e inovadores.

Gostou? O que achou? Deixe seu comentário. Além disso, não se esqueça de entrar no nosso grupo do Telegram. Basta clicar em “Canal do Telegram” que está localizado no canto superior direito da página!